sexta-feira, 7 de setembro de 2012

As graves consequências do adultério

De uns tempos pra cá Deus trouxe um peso muito grande ao meu coração, tenho feito muitos aconselhamentos  e interagido com muitos, percebendo seus conflitos e ganhando uma certa percepção dos conflitos de quem passa por um adultério.

Tem sido propagado um modelo de família que descarta o casamento. Quando tiramos o foco do casamento estamos tirando a aliança, o companheirismo, o altruísmo, valores que nos fazem participantes da natureza divina.

Como posso saber se estou ou não preparado para a volta de Jesus? Se não formos fiéis a nossa esposa, como seremos  fiéis a Jesus? Se não levarmos a sério o casamento, como teremos ‘cara’ para estar nas bodas do cordeiro?

Costumo dizer: lidar com a violência, marginalidade, vícios e drogas sem refundar os valores bíblicos do matrimonio é enxugar gelo.

Muitas pessoas estão lidando com o problema do adultério e tendo que enfrentar esse tipo de ferida.
Estamos enfrentando a banalização do pecado! As pessoas estão se acostumando com o erro!

Essas situações infelizmente tem  se tornado cada vez mais corriqueiras. Está cada vez mais difícil encontrar um homem que possa dizer: “Eu nunca trai minha esposa!”

As implicações do adultério

O adultério é muito traumático porque envolve o relacionamento mais íntimo que existe: marido e mulher.

Algumas constatações cientificas a respeito do adultério:

- A pessoa é empurrada para as margens e sai do centro do propósito divino

- Há desvirtuamento no relacionamento do casal. Um fala A e outro entende B.  Quando o matrimônio enfrenta o adultério, infiltra-se um espírito de ciúme, gerando uma forte influencia demoníaca.

- O adultério contamina o leito matrimonial promovendo inibição ou até aversão sexual.

- O adultério deixa os filhos suscetíveis a diversas perseguições, inclusive abuso sexual.

- O adultério afeta diretamente a vida financeira da família. A tendência do adultério é levar a família a bancarrota.

- O adultério implica no principio ativo do escândalo e da perseguição.

A nação de Israel viveu uma terrível fase essa fase foi dramatizada enfaticamente por Oséias quando ele foi instruído por Deus para se casar com uma prostituta.

Os filhos que ele teve com essa prostituta tinham nomes de condenação. Os filhos sofrem muito com o adultério.

Aquela mulher volta e meia voltava para a prostituição e Oséias ia e a buscava novamente, numa demonstração do amor e da misericórdia do Senhor para com a nação de Israel. Deus expressou sua dor através do casamento de Oséias.

Existem feridas que demandam até uma intervenção cirúrgica. Muitas pessoas querem tratar o adultério com uma ‘aspirina’, mas não funciona. Tem que cortar, tratar, sangrar. A terapia para esse tipo de situação é o trauma. Numa reconciliação onde houve adultério, precisa haver uma pessoa madura sacerdotalmente para lidar com isso.

O caso de Davi é clássico e pela misericórdia de Deus teve um final feliz – mas se não tivesse a intervenção de um sacerdote como Natã, a história teria sido outra.

Um dos tratamentos dessa ferida é falar a verdade, o princípio para lidar com essa situação é a transparência!

Nunca vi uma situação dar errada, quando a pessoa resolveu abrir o coração para o cônjuge. A mentira transforma a pessoa no playground do diabo. A confissão acompanhada de um legítimo desejo de mudança faz parte do processo. O que confessa, tem que dar tempo para o outro para assimilar essa pancada emocional.

O adultério não é pretexto para divórcio.  É bem verdade que confiança é difícil de construir e fácil de perder. Quem adultera e quem foi traído precisam ter um encontro com a cruz para reconstruir essa confiança. Tudo que foi encoberto será revelado – essa é uma lei inquebrável.

Um alerta aos pastores

Um forte agravante é quando o pastor ao saber do pecado da ovelha a exclui ao invés de tratar a ferida. Davi fez isso quando matou Urias. O abuso é o principio do mercenário. Ninguém planeja ser um mercenário, mas quando a pessoa não tem  ética e cruza a linha, deixa de ser pastor e passa ser lobo.

É necessário uma sabedoria sacerdotal para lidar com essas estruturas. O processo de terapia de Davi durou entre 8 e 15 anos. 

Como enfrentar as consequências do adultério?

Existem quatro princípios que foram responsáveis pela restauração de Davi

- A prova da reputação

O arrependimento precisa ser mais escandaloso que o pecado. Infelizmente a nossa tendência não é essa. Davi escondeu isso e experimentou o definhamento da alma. Ele morria internamente.

Fico pensando até onde uma pessoa pode chegar para tentar esconder um adultério. Davi assassinou uma pessoa.

Toda pessoa que adultera invoca uma sentença de morte. Essa é uma  afirmação de uma outra pesquisa informal que fiz.  Adultério traz uma sentença de morte! Há pecados que são para morte – não estou falando de pecados que não são perdoados.

 Davi ao ser confrontado por Natã, a respeito do homem que tinha uma ovelha e foi usurpado nessa, disse que esse homem seria digno de morte e Natã afirmou que Davi era essa pessoa.

Davi publicamente disse: “Pequei contra Deus” Diante de toda a sua corte ele se expôs. O bisturi de Natã entrou.  Quando Davi se quebranta, se rasga, o profeta disse: “Não morrerás!”

- Prova da posição

Davi desceu do pedestal e decidiu sair do palácio. Existem pastores que caem em adultério e não querem perder sua posição.

Davi não ouviu um conselheiro que só falaria o que ele queria ouvir. Natã disse a Davi que aquilo que ele fez escondido o filho dele faria a ele  á luz do sol.
Davi buscou refúgio na dependência de Deus, se ele ficasse no palácio seria morto!

- Prova do apedrejamento

Para Davi o apedrejamento tornou-se literal. Simei lançou pedras contra ele.  II Sm 16
Diante daquela situação, Davi abaixou a cabeça. Ele sabia que era a punição que estava chegando. O pai corrige ao filho a quem ama.

Abisai filho de Zeruia, sobrinho de Davi ficou revoltado com Simei e quis matá-lo. “Quem é esse cão morto para amaldiçoar o rei dessa forma?” Davi respondeu: “Que tenho eu convosco filho de Zeruia?”  Davi reconheceu que Deus havia mandado Simei fazer aquilo. Deus não castiga ninguém indefinidamente, porque senão ninguém suportaria. 

- Prova da traição

Essa prova foi o revide da própria traição. Todo que trai prova do seu próprio veneno.   Uma coisa foi lidar com Simei, outra coisa foi lidar com Absalão que era filho. Depois de se humilhar diante de Simei, Davi intercede por seu filho. Ele pediu a Joabe: “Por  favor não mate Absalão!”

Entrou por um ouvido e saiu pelo outro. Davi sabia que ele tinha sido o pivô de tudo. Natã havia dito que  a espada não se afastaria de sua casa.

Depois de tudo isso suportando a provação e a afronta Davi teve seu trono restituído!  O espírito de adultério tem rondado muitas famílias – cuidado, as consequências desse pecado são gravíssimos.

Pr. Coty ministrando no Congresso Segredos do Coração
Edição: Renata G. Santana

5 comentários:

  1. A pessoa que comete tal pecado é desprovida do temor ao Senhor... Só uma vida de muita oração, pode nos livrar da queda.

    ResponderExcluir
  2. Pastor quem foi que lhe disse que o adultério não é pretexto para DIVÓRCIO???????? E no livro de Mateus 19 diz o quê? Se o sr afirma o que disse no seu texto então o sr contradiz as Escrituras Sagradas. É pretexto e motivo sim!!!

    ResponderExcluir
  3. Pastor quem foi que lhe disse que o adultério não é pretexto para DIVÓRCIO???????? E no livro de Mateus 19 diz o quê? Se o sr afirma o que disse no seu texto então o sr contradiz as Escrituras Sagradas. É pretexto e motivo sim!!!

    ResponderExcluir
  4. Pastor o homem solteiro q comete adulterio com uma mulher casada tbm sofrera as consequencias,e quais sao?

    ResponderExcluir
  5. Pastor o homem solteiro q comete adulterio com uma mulher casada tbm sofrera as consequencias,e quais sao?

    ResponderExcluir